Você já enxerga seu escritório como uma empresa? Ou seja: você entende o escritório como um negócio de advocacia, que precisa gerar lucro para os sócios e resultados satisfatórios para seus clientes, respeitando os limites éticos da profissão? Se você respondeu sim às duas perguntas, esse artigo é para você.

Provavelmente você também já entende que as mudanças na sociedade têm consequências significativas. Elas impactam em leis que regem as vidas de pessoas e empresas, podendo abrir muitas oportunidades de contratação. Compreender as novas necessidades e demandas emergentes nesse cenário é fundamental para se destacar em um mercado que cresce exponencialmente.

Estudos apontam que, até 2023, haverá cerca de 2 milhões de advogados no Brasil. E para encontrar as oportunidades de mercado que podem gerar contratos promissores para seu escritório, o marketing jurídico é um grande aliado. Afinal, se você enxerga seu escritório como um negócio, já deve ter percebido que seu trabalho de marketing precisa ir além  de criar folders, cartões de visita e posts para redes sociais.

É com base em uma análise profunda sobre o mercado, o seu escritório e o seu cliente que a estratégia de marketing jurídico se torna realmente eficaz para atrair bons contratos. Para que o marketing deixe de ser um custo e passe a ser um investimento que gere oportunidades de negócios, você deve apostar em:

1) Conhecimento do cliente

Você sabe quais são as principais motivações que levam clientes a contratar o seu escritório? Quais diferenciais fazem com que alguém escolha o seu escritório e não o concorrente? A melhor forma de descobrir como atrair novos clientes é saber como seus clientes atuais e ex-clientes conheceram seu escritório, como eles consideraram seus serviços como boas soluções para seus problemas, e, finalmente, como decidiram por contratar você. Pesquisando essas informações com diversos clientes é possível identificar similaridades entre eles. Provavelmente, você tem uma percepção sobre como esse processo acontece. Mas uma análise estruturada dessas informações pode trazer dados estatísticos – e até algumas surpresas – que permitirão tomar decisões mais assertivas.

2) Conteúdo relevante

Ao conhecer melhor o que o seu cliente valoriza no seu escritório, quais foram as dúvidas que o levaram a procurar pelos especialistas do seu time e quais são os diferenciais que fazem sua marca se sobressair, é possível traçar uma estratégia de conteúdo mais eficaz. Ou seja: as suas redes sociais, o seu site e todos os demais canais de comunicação do seu escritório passarão a tratar de temas e informações que os seus clientes já apontaram como relevantes. Por paralelo, é provável que quem passa por problemas similares aos dos seus clientes também tenha interesse pelo conteúdo do seu escritório. Assim, a sua marca ganha a atenção de potenciais clientes.

3) Qualificação de leads

Mas apenas atrair pessoas para suas redes sociais e seu site não vai fazer com que elas se tornem clientes do seu escritório. É preciso saber se a sua estratégia de marketing jurídico está atraindo as pessoas certas – ou seja, aquelas que têm perfil para contratar seus serviços. É possível fazer isso usando o seu conteúdo para captar informações sobre as pessoas que acessam o site do escritório. Por exemplo, por meio de formulários de cadastro para assinar uma newsletter, acessar um vídeo exclusivo ou baixar um guia explicativo. Assim, é possível identificar cada pessoa que se interessa em acessar o conteúdo que o escritório produz. Dessa forma, você cria um mailing qualificado com o qual você pode manter contato – desde que tenha a devida autorização das pessoas para isso.

4) Automação de processos

Para uma estratégia de marketing jurídico eficaz, é preciso processos de marketing eficientes. Existem muitas plataformas que otimizam as diversas atividades e etapas dos processos, além de oferecer dados como números de acessos a cada página do site, canais de redes sociais que geram mais contatos para o escritório, percentual de abertura de e-mails, entre outros. Com tecnologias mais modernas é possível ainda cruzar essas informações com o perfil de quem se cadastra em formulários do site. Nesse caso, é possível enviar, automaticamente, informações relacionadas ao interesse específico de cada pessoa. Por exemplo, se alguém acessa o site de um escritório que atua em Direito do Trabalho, Direito de Família e Direito do Consumidor, é possível identificar a área sobre a qual a pessoa busca informações e enviar conteúdos direcionados para ela.

5) Análise de dados

Com uma estratégia bem definida e processos otimizados, o tempo que os sócios do escritório dedicam ao marketing é usado para tomar decisões com base em dados estratégicos. A inteligência de dados (ou “data analytics“) é a principal tendência do marketing jurídico para os próximos anos. Ao obter informações sobre o comportamento de quem se relaciona com conteúdos e ações de marketing do escritório é possível, por exemplo, identificar pessoas com maior potencial de se tornarem clientes. E direcionar seu tempo para negociações potencialmente mais promissoras pode ser uma grande economia de tempo e uma forma de escalar os negócios do seu escritório de advocacia.

Saiba mais sobre as Tendências para o Mercado Jurídico em 2020