Seu escritório deseja começar uma estratégia de Marketing Jurídico, mas ainda não sabe exatamente por onde?  

É muito comum que os sócios e associados de um escritório fiquem confusos ou até mesmo perdidos acerca de quais ações de Marketing Jurídico investir no primeiro momento. 

Para ajudar nessa fase de preparação, respeitando as Diretrizes da OAB, separamos as principais medidas que os escritórios devem adotar para começar. 

Identifique os objetivos do escritório e estabeleça metas 

Nessa etapa é necessário responder “O que eu quero?”, “Como eu quero?” e “Quando eu quero?”. 

Seja para ampliar a atuação do escritório no cenário digital, para ser referência em determinada área do direito ou somente melhorar sua comunicação com os colaboradores, é preciso estabelecer metas e ações. Para, por exemplo, ampliar a atuação do escritório no cenário digital, pode-se criar um perfil no LinkedIn, para ser referência em determinada área do direito, criar um blog de notícias ou canal no Youtubepara melhorar a comunicação interna, preparar um boletim quinzenal. 

Essa é a base do planejamento. Se nessa etapa o escritório não for sincero dificilmente terá êxito quando partir para a etapa de execução.  

Alinhe os objetivos do planejamento com a missão, visão e valores do escritório  

O planejamento deve estar atrelado a tudo o que o escritório diz ser. Portanto, esses tópicos devem estar claros em todos os canais de comunicação que o escritório tem ou vier a ter.   

Esse ponto é muito importante, pois a adequação (ou a falta dela) entre esses fatores reflete diretamente na reputação do escritório.  

Faça uma análise crítica do tamanho do seu escritório  

Nesse momento faça uma análise crítica dos aspectos financeiros e de influência do escritório. É preciso observar o balanço financeiro, quantos clientes e associados o escritório tem, qual a capacidade de atendimento, entre outros fatores. 

Os objetivos e metas do escritório devem ser alcançáveis, portanto é preciso saber exatamente a realidade do escritório. 

Liste os pontos altos e aspectos a melhorar do seu escritório

Os pontos altos do escritório devem estar presentes em toda a estratégia de Marketing Jurídico. Se um ponto alto é o escritório ser referência em Direito Trabalhista, use isso para fortalecer sua imagem produzindo conteúdo relevante sobre esse tema. 

Os pontos fracos não devem ser esquecidos, ao contrário, devem ser ajustados a fim de mostrar a capacidade do escritório em evoluir. 

Alinhe as responsabilidades, funções e cargos dos associados e sócios

Essa fase é de extrema importância, pois nesse momento será decidido quem ficará responsável por realizar o marketing do escritórioSe o escritório decidir por contratar uma agência especializada em Marketing Jurídico, será preciso que uma pessoa do escritório seja responsável por fazer a ponte entre o escritório e a agência.   

Caso o próprio escritório seja responsável pelo marketing, será preciso contratar ou direcionar um colaborador ou mais para isso. 

No último caso, também será necessário treinar as pessoas envolvidas para fazer a redação dos textos e produção das imagens. Além disso, será preciso fazer assinaturas em plataformas de automação de marketing e e-mails (dependendo do objetivo do seu escritório). 

O alinhamento das responsabilidades e funções também ajuda na hora de saber quem do escritório deve-se procurar para falar sobre um assunto específico. Isso facilita e otimiza o tempo de produção dos planos de ação do planejamento. 

Faça um estudo com os seus clientes 

O estudo do público é fundamental para entender como são seus clientes e como você pode melhorar ou potencializar seu relacionamento com eles.  

Busque entender o porquê eles escolheram você e como eles chagaram ao seu escritório. 

Faça uma persona, ou seja, o cliente ideal do seu escritório 

Essa é a parte mais detalhada do estudo do público, pois em um perfil, o escritório deve exemplificar como é o cliente ideal(Lembrando que no caso dos escritórios de advocacia, esse estudo é para entender quais questões são as dores do seu possível cliente para que se escritório sane elas com conteúdo relevante e não com ações de vendas direta – o que não é permitido).  

[INFOGRÁFICO] Como criar a persona da sua empresa

Tenha uma lista de contatos 

O mailing, comumente chamado no Marketing, é uma lista de contatos que podem ser divididos em clientes, possíveis clientes, empresas parceiras, associados, entre outros. 

Essa lista deve ser segmentada de acordo com a necessidade do escritório para ajudar no envio de mensagens. 

Por exemplo, vai acontecer um evento interno para os colaboradores e, através desse mailingvocê pode enviar para todos os associados o mesmo conteúdo. 

Faça uma curadoria de conteúdos 

Nessa fase, o escritório pode fazer uma lista com os conteúdos que são relevantes e os conteúdos que não devem ser abordados (caso tenham). Isso facilita a produção de textos, imagens e vídeos.  

Essa lista pode ser feita através de uma planilha dividida em assuntos e temas permitidos, de acordo com a plataforma a ser utilizada. 

Exemplo: Caso o escritório deseje buscar novos talentos através do LinkedIn, coloque o assunto “Processo Seletivo” na lista permitidos, na rede social LinkedIn. 

Faça um cronograma 

Um bom planejamento exige que todas as ações estejam datadas. Observe todas as datas relevantes para o seu escritório, como datas comemorativas ou aniversários de colaboradores e parceiros, por exemplo. 

Esteja sempre antenado sobre os assuntos da atualidade que sejam importantes para o escritório para não perder o tempo de se posicionar.  

Por exemplo, caso seu escritório tenha o objetivo de se tornar mais presente nas redes, investindo em um perfil no LinkedIn, faça um cronograma com datas, horários e conteúdos para as postagens. 

Monitore as ações do planejamento 

Muitas vezes o que foi planejado não sai exatamente como foi pensado. Diversos fatores podem influenciar na mudança ou adaptação do planejamento. 

Então, é importante fazer uma análise crítica do planejamento, observando se as ações estão dando certo, observando o que pode ser mudado ou adaptado. 

Esse monitoramento serve tanto para o planejamento como um todo, como para os planos de ação.